• Junior Valverde

3 DICAS CRUCIAIS PARA ADMINISTRAR A LOJA DO SEU NEGÓCIO NO INSTAGRAM



Enquanto o varejo físico enfrenta um futuro incerto por conta da pandemia, as plataformas de mídia social tornaram-se fontes lucrativas. Com o Instagram, não foi diferente. O app, com seu recurso de Lojas, já funciona como uma vitrine inteira para os negócios de muitos empreendedores.


Alexandra Puccini ficou noiva em 2017, mas na época não conseguiu encontrar os presentes que tanto queria para suas damas de honra. Ela resolveu criar por conta própria.. O feedback foi tão positivo que resolveu postar suas criações no Instagram. Em 2018, lançou um negócio de caixa de presentes de luxo chamado Polkadots & Posies,


Em seus primeiros dois anos, a companhia só vendia exclusivamente pelo Instagram, atendendo pedidos inclusive por mensagens diretas dentro do próprio aplicativo. No final de 2019, Puccini lançou um site adicional para também fazer vendas online. Apesar da criação, ainda 85% das compras da empresa têm origem no Instagram.


A história de Puccini não é uma anomalia. A empresa de pesquisa eMarketer descobriu que, em 2020, 80,1 milhões de pessoas nos Estados Unidos fizeram pelo menos uma compra por meio do Instagram.

A eMarketer prevê que esse número crescerá para 90,4 milhões este ano e que as vendas por redes sociais alcançarão US$ 36 bilhões - ou 4,3% de todas as vendas do comércio eletrônico.


Para te ajudar a impulsionar seu negócio e criar uma vitrine na Loja do Instagram, preparamos abaixo três dicas cruciais para você:


1. Use mensagens diretas


Responder mensagens diretas coloca seu negócio no mapa. Muitas contas de outros seguidores podem repetidamente repostar suas publicações e maximizar o alcance de visualizações dos seus produtos.


A educadora de marketing online e treinadora de negócios Sue B. Zimmerman aconselha o uso da "resposta rápida" do Instagram para responder a um grande volume de mensagens.


Você ainda precisa responder a cada mensagem diretamente, mas este atalho permite que você responda com mensagens pré-digitadas para solicitações e perguntas mais comuns. "Isso torna muito fácil apenas clicar em seus DMs na fila do supermercado", diz Zimmerman, acrescentando que ela também envia mensagens de voz e vídeos em conversas para promover uma conexão autêntica.


Ela rastreia o sucesso de suas conversas e descobriu que o tráfego originado de conversas via mensagem direta tem uma taxa de rejeição mais baixa e um tempo médio de sessão mais longo do que outras fontes de tráfego.


2. Dê o seu produto


Bronson Christensen e Indy Severe lançaram sua empresa de vestuário Lonely Ghost no Instagram em 2019. Eles afirmam que para novos lançamentos, ou mesmo, ocasionalmente, apenas para "impulsionar o humor dos seguidores", fornecem algumas roupas grátis.


Os seguidores entram para ganhar postando uma história ou postagem e/ou marcando a marca. Freqüentemente, eles obtêm 10.000 repostagens, alcançando não apenas seus clientes, mas também os seguidores de seus clientes.


Zimmerman reitera o poder dos brindes, acrescentando que eles impulsionam a publicidade boca a boca e atraem mais atenção.


Quanto à criação de uma comunidade, Zimmerman diz que as empresas devem colocar seus comentários favoritos em uma postagem no topo da seção de comentários para direcionar a conversa.


Outra tática para aumentar a memorização de uma marca? Usando o feed e postagens com filtros no Stories - um recurso que permite aos usuários postar vídeos e fotos que duram 24 horas e aparecem no topo do feed principal.


3. Não use todos os recursos - apenas os certos


Quando Privé Porter começou a revender bolsas de grife no Instagram em 2013, a empresa ganhou US$ 4 milhões por ano com compras originadas somente no Instagram. Isso foi antes de a plataforma de mídia social fornecer um recurso de vitrine, diz Jeffrey Berk, diretor administrativo e cofundador da companhia.


Em dezembro de 2020, a marca ganhou US$ 1,9 milhão em um mês com as compras do Instagram - e um adicional de US$ 1 milhão em receita mensal de uma loja física em Miami que havia lançado no início daquele ano.


Berk diz que Privé Porter não precisa de "recursos estranhos" para alcançar clientes que estão em busca de uma bolsa de mão de luxo. A marca não usa o marketplace do Instagram, nem publica histórias ou vídeos. Ela nem mesmo coloca preços em seus produtos - incentivando os compradores em potencial a enviar mensagens diretas, em vez de compará-los.


“O sucesso é medido de maneira diferente para cada pessoa. E não acho que seja necessário fazer tudo isso”, diz Zimmerman. "A maioria das pessoas não consegue fazer tudo isso", acrescenta.


Contudo, é importante perceber os públicos diferentes de cada recurso do Instagram, alerta Zimmerman. Algumas pessoas passam o dia inteiro assistindo aos vídeos de curta duração "Reels", enquanto outras assistem apenas aos "Stories".


"Saber em qual recurso seus clientes passam mais tempo e por quê é crucial para você poder direcionar suas publicações e atingir maior alcance entre seu público", concluiu.


*Com informações da Inc.


Tags: #SevenJoin #Inovação #Ideias #NovosNegócios #Empreendedorismo #TireSuaIdeiaDoPapel #Consultoria #ConsultoriaDeInovação #Intraempreendedorismo #Business #Tecnologia #MetodologiasAgeis #GestãoEficaz #CasesDeSucesso #CrowSourcing #Instagram #Ecommerce #VendasOnline #SeuNegócio

3 visualizações0 comentário