• Junior Valverde

CHINA PREPARA ASTRONAUTAS PARA COLOCAR SUA 3ª ESTAÇÃO ESPACIAL EM ÓRBITA ATÉ 2022


O gigante asiático já teve duas estações espaciais: a Tiangong 1 e Tiangong 2. Ambas foram desativadas e reentraram na atmosfera, queimando e caindo em áreas do Oceano Pacífico. A fome pela corrida espacial é grande: China já quer a sua nova estação em órbita até o fim do próximo ano.


Astronautas já se preparam para 11 missões que serão lançadas neste e no próximo ano ao espaço sideral para colocar na órbita terrestre a nova estação espacial da China, incluindo a montagem do módulo central, que deverá ser lançado no primeiro semestre de 2021, duas cápsulas de laboratório, além de quatro naves tripuladas e quatro cargueiros, segundo a Agência Espacial Tripulada da China (CNSA, em inglês), que pode ser denominada como "NASA da China".


O primeiro grupo de astronautas selecionados para a missão de construir a estação está atualmente em treinamento para atividades extraveiculares (EVA, na sigla em inglês), se preparando para as viagens espaciais tripuladas.


No Centro de Pesquisa e Treinamento de Astronautas da China em Beijing, Wang Yaping, astronauta chinesa que passou 15 dias no espaço em junho de 2013, vestiu trajes de treinamento que pesam mais de 120 quilos e entrou em um grande tanque de água com a ajuda de um braço mecânico.


A água fornece o melhor meio na Terra para simular a falta de peso no espaço e ajuda os taikonautas a treinarem para EVAs, como caminhada e manutenção no espaço. O tanque de treinamento, com 10 metros de profundidade e 23 metros de diâmetro, é o maior da Ásia.


Durante a sessão de treinamento que durou mais de quatro horas, sete mergulhadores ajudaram Wang a completar suas tarefas, enquanto a equipe também monitorava os procedimentos a partir de uma sala de controle.


Wang Yanlei, funcionário da CNSA, disse que para simular uma missão de cinco horas no espaço, um astronauta passará por 50 horas de treinamento subaquático na Terra. Cada sessão de treinamento dura de quatro a seis horas.


Ele observou que, se for uma tarefa complicada ou envolver muitas manobras, o astronauta ficará exausto e perderá de 1 a 2 quilos até a conclusão da sessão.

No mês passado, a CNSA anunciou que o módulo central da estação espacial passou por uma revisão de fábrica, juntamente com a nave de carga do projeto Tianzhou-2.


Na terça-feira, a CNSA divulgou em sua conta oficial do WeChat que o foguete Longa Marcha-5B Y2, que está programado para lançar o módulo central ao espaço, está a caminho do local de lançamento. O foguete Longa Marcha-7 Y3, o veículo de lançamento da espaçonave de carga Tianzhou-2, também está em montagem.



De acordo com Zhou Jianping, designer-chefe do programa espacial tripulado da China, o módulo central será lançado da Estação de Lançamento de Naves Espaciais Wenchang, na Província de Hainan (China). Os lançamentos do cargueiro Tianzhou-2 e da nave tripulada Shenzhou-12 virão depois que o módulo central for enviado à órbita.


*Com informações da Agência de Notícias Xinhua.


Tags: #SevenJoin #Inovação #Ideias #NovosNegócios #Empreendedorismo #TireSuaIdeiaDoPapel #Consultoria #ConsultoriaDeInovação #Intraempreendedorismo #Business #Tecnologia #MetodologiasAgeis #GestãoEficaz #CasesDeSucesso #CrowSourcing #China #EstaçãoEspacial #Espaço #Astronautas

4 visualizações0 comentário