• Junior Valverde

FABRICANTE CHINESA DE LICOR COM 53% DE ÁLCOOL SE TORNA MAIOR QUE A COCA-COLA

Atualizado: 5 de fev. de 2021


Um licor ardente com 53% de álcool e que faz a garganta pegar fogo! Descubra como a Kweichow Moutai conquistou a China e se tornou a maior fabricante de bebidas do mundo em valor de mercado, superando até a americana Coca-Cola e a britânica Diageo. Detalhe: isso tudo com 97% das vendas somente no gigante asiático!


Mesmo em meio a pandemia global, a Kweichow Moutai, empresa que fabrica o licor “Moutai”, um destilado de arroz e sorgo fermentado, teve um ano excepcional: suas ações subiram cerca de 70% na Bolsa de Valores de Xangai em 2020. A empresa, que é parte estatal e parte de capital aberto, é a mais valiosa da China fora do setor de tecnologia - vale mais do que os quatro maiores bancos do país.


Avaliada em 2,7 trilhões de iuanes ou US$ 421 bilhões, a capitalização de mercado global não só ultrapassou todos os outros destiladores de álcool como a Diageo e a Constellation Brands, mas também a Coca-Cola (com valor de mercado de US$ 210,6 bilhões), que há muito detém a coroa de maior fabricante de bebidas do mundo. É também maior do que a Toyota, Nike e Disney.


Pouco conhecida no exterior, a China responde por 97% das vendas da empresa. Mas então como uma companhia que vende seus produtos em um só país consegue essa grandeza?

De marvada a bendita!


O Moutai é vendido a 1.498 iuanes ou US$ 209 (R$ 1.118,15) por uma garrafa de meio litro. Ainda que considerado de luxo, lotou todas as prateleiras da China, maior mercado do mundo. Com o gigante asiático em plena expansão há décadas, há cada vez mais consumidores com espírito de luxo dispostos a pagar o preço pela bebida – também apelidada por degustadores ocidenteais como “lâmina de barbear líquida” por conta do alto teor alcoólico.


"Sempre que houver algum estoque [Moutai] disponível, ele acabará quase instantaneamente", disse Ben Cavender, diretor-gerente do China Market Research Group. "Você verá pessoas clamando [por isso]."


O licor já é considerado o destilado nacional da China, assim como a tradicional cachaça no Brasil. As garrafas vermelhas e brancas de seu principal produto são presença marcante nos banquetes estatais chineses e eventos de negócios.

“Acho que se bebermos Moutai suficiente, podemos resolver qualquer coisa", brincou Henry Kissinger, secretário dos Estados Unidos, em visita à China em 1974. O aguardente também foi usado para dar as boas-vindas aos ex-presidentes dos Estados Unidos Richard Nixon em 1972, e novamente em 2013, quando o presidente chinês Xi Jinping se encontrou com Barack Obama.


Participar de tantos eventos públicos importantes na China "realmente definiu a marca na consciência nacional", disse Cavender, que a comparou a outro fabricante de bebidas gigante, a Coca-Cola.


"Essa é a mesma razão pela qual a Coca tem se saído tão bem do ponto de vista do marketing. Se você olhar para a maneira como eles fizeram sua publicidade nos últimos 50 anos, eles estão em praticamente todos os grandes eventos. Você vê a Coca quando o Muro de Berlim cai. Você vê os comerciais da Coca no Natal. Acho que Moutai é essa marca para a China, então acho que essa parte explica por que é tão popular. "

Relíquia na prateleira de bar


A marca é vista mais como um símbolo de status de luxo do que por suas raízes "vermelhas". Alguns clientes compram não para beber, mas para manter como investimento.


As caixas de edição limitada são coletadas e apresentadas por casas de leilão internacionais, como a Christie's, que afirma que algumas garrafas podem custar mais de US$ 40.000 cada.


“Em meio a pandemia em 2020, consumidores ricos que gastaram menos em viagens optaram pelo investimento em bebidas”, opinou Cavender.


Ascensão meteórica


A Kweichow Moutai é vista como uma das ações mais importantes da China. Em 2017, tornou-se a maior fabricante de bebidas do mundo em valor de mercado, ultrapassando a Diageo (DEO), dona da britânica Johnnie Walker, Guinness e Tanqueray.


Em 2019 se tornou a primeira empresa chinesa desde 2005 a ver o preço de suas ações atingir 1.000 iuanes (cerca de US$ 145) - outro recorde de mercado. E, no ano passado, tornou-se a empresa não tecnológica mais valiosa da China. Os papéis da Moutai dispararam 69%.

Uma das maiores vantagens da companhia é sua capacidade de manter o preço de seu produto em alta. Segunda a empresa, a capacidade de produção é limitada, pois só pode produzir em um só local. É semelhante ao tradicional champagne - que vem da região de mesmo nome na França.


Moutai tem o nome de Maotai, uma pequena cidade pitoresca na província de Guizhou, no sudoeste da China. Assim como o champanhe, a bebida só pode ser chamada de Moutai se for produzida naquele local específico. De acordo com a empresa, é nesta localidade que o aguardente ganha seu toque mágico.


Fatores ambientais, como o clima e as mudanças sazonais nas águas do rio local, ajudam a conferir ao licor um sabor único e são "benéficos para o processo de produção", destaca a empresa. Dentro da cidade, o impacto de Moutai na economia é profundamente sentido.


Tags: #SevenJoin #Inovação #Ideias #NovosNegócios #Empreendedorismo #TireSuaIdeiaDoPapel #Consultoria #ConsultoriaDeInovação #Intraempreendedorismo #Business #Tecnologia #MetodologiasAgeis #GestãoEficaz #CasesDeSucesso #CrowSourcing #KweichowMoutai #Ações #Mercados #Finanças #Moutai #CocaCola #Coke #China #Bebidas #Drinks #Destilados #Licor #ValorDeMercado #MarketValue

0 visualização0 comentário