• Junior Valverde

QUEM VOCÊ MANDOU PRA P%T4 QUE P4RIU HOJE? CIÊNCIA EXPLICA QUE ISSO AJUDA (E MUITO) A SAÚDE!

Atualizado: 7 de abr.



Não se trata de uma discussão sobre etiqueta. Estamos falando de realidade: soltar palavrão na hora e no momento certo é "BOM DEMAIS". Será que botar tudo pra fora vale a pena? Os cientistas confirmam que sim: xingar é benéfico para nossa saúde. Mais juízo aí: não queremos aqui promover guerra ou discórdia... apenas entender como as más palavrinhas nos fazem bem, inclusive para a saúde mental!


Reflita: quantos palavrões você fala ao longo do dia? Você até pode não perceber, mas fala muito... e como fala! Cada povo e linguagem são únicos, repletos de tradições e costumes. Mas o brasileiro… Ahhh... Nós conseguimos ser mais do que especiais Kkkk !!!


Nosso bom-humor permite até fazer piada independente da situação. E no que isso resulta: aquele blá blá blá de intrigas nas redes sociais KKK.... Uma porrada de xingamentos e opiniões, tanto de um lado como de outro. No fim da novela, todos sentem que botaram tudo pra fora!


E não precisa ser brasileiro pra isso: basta dar uma olhada nos Estados Unidos! A maioria dos americanos usa palavrões todos os dias, com um em cada quatro soltando seu primeiro palavrão do dia antes do café da manhã. Na Argentina então, nem se fala. O "buenos días" vem acompanhado de um "boludo", e por aí vai kkk


A verdade é que, mundo afora, xingar é a resposta mais comum para frustrações ou situações estressantes – sejam relacionadas a finanças, assuntos do coração ou problemas profissionais.


Embora esse ato possa provocar desprezo entre alguns, pesquisas científicas sugerem que a prática nos ajuda a gerenciar o estresse e possivelmente fornece benefícios mensuráveis ​​para a saúde: desde melhorar a tolerância à dor até aumentar a força física e o desempenho atlético.


Aqui está o que os estudos dizem sobre o uso dos "palavrões" (mas cuidado para não tornar isso um hábito e gerar inimizades):


"As vantagens de xingar são muitas", disse Timothy Jay, professor emérito de psicologia do Massachusetts College of Liberal Arts, que estuda xingamentos há mais de 40 anos.


"Os benefícios dos palavrões surgiram nas últimas duas décadas, como resultado de muitas pesquisas sobre cérebro e emoção, juntamente com uma tecnologia muito melhor para estudar a anatomia do cérebro", disse Jay.


Preparado(a) para as conclusões? Vamos lá:

1. Xingar pode ser um sinal de inteligência


Pessoas bem educadas com muitas palavras à sua disposição, segundo um estudo de 2015, eram melhores em inventar palavrões do que aquelas que eram menos fluentes verbalmente.


Os participantes foram solicitados a listar o maior número de palavras que começam com F, A ou S em um minuto. Outro minuto foi dedicado a inventar palavrões que começam com essas três letras. O estudo descobriu que aqueles que inventaram mais palavras F, A e S também produziram mais palavrões.


Isso é um sinal "na medida em que a linguagem está correlacionada com a inteligência", disse Jay, autor do estudo. "As pessoas que são boas em linguagem são boas em gerar um vocabulário de palavrões."


2. Xingar pode ser um sinal de honestidade


A ciência também encontrou uma ligação positiva entre palavrões e honestidade. As pessoas que xingavam mentiam menos em um nível interpessoal e tinham níveis mais altos de integridade em geral, segundo uma série de três estudos publicados em 2017.


"Quando você está expressando honestamente suas emoções com palavras poderosas, você vai parecer mais honesto", disse Jay.


Embora uma taxa mais alta de uso de palavrões tenha sido associada a mais honestidade, os autores do estudo alertaram que "as descobertas não devem ser interpretadas como significando que quanto mais uma pessoa usa palavrões, menor a probabilidade de se envolver em comportamentos antiéticos ou imorais mais sérios".


Portanto, juízo aí pessoal...


3. Profanação melhora a tolerância à dor


Quer arrasar nesse treino? Vá em frente e solte uma bomba como "BORA", "VAMO", EU CONSIGO PORR4".


Pessoas em bicicletas que xingavam enquanto pedalavam contra a resistência tinham mais poder e força do que pessoas que usavam palavras "neutras", mostraram estudos.


A pesquisa também descobriu que as pessoas que xingavam enquanto apertavam um torno de mão conseguiam apertar com mais força e por mais tempo.


Falar obscenidades não ajuda apenas a sua resistência: se você apertar o dedo na porta do carro, pode sentir menos dor se disser "M3RD4" ao invés de "VAMOS".


As pessoas que "recorriam ao diabo ou diziam pragas" ao mergulhar a mão na água gelada, segundo descobriu outro estudo, sentiam menos dor e conseguiam manter as mãos na água por mais tempo do que aquelas que diziam uma palavra neutra. Surreal!

4. Xingar é um sinal de criatividade


O xingamento parece estar centrado no lado direito do cérebro, a parte que as pessoas costumam chamar de "cérebro criativo".


“Sabemos que os pacientes que têm derrames no lado direito tendem a se tornar menos emocionais, menos capazes de entender e contar piadas, e tendem a parar de xingar, mesmo que tenham xingado bastante antes”, afirma Emma Byrne, autora de “Jurar é bom para você".


A pesquisa sobre palavrões remonta aos tempos vitorianos, quando os médicos descobriram que os pacientes que perdiam a capacidade de falar ainda podiam xingar.


"Eles xingaram incrivelmente fluentemente", disse Byrne. "Repreensões infantis, palavrões e termos carinhosos - palavras com forte conteúdo emocional aprendidas cedo tendem a ser preservadas no cérebro, mesmo quando todo o resto da nossa linguagem é perdido."


5. Jogando palavrões em vez de socos


Por que escolhemos jurar? Talvez porque a profanação forneça uma vantagem evolutiva que pode nos proteger de danos físicos, disse Jay.


"Um cachorro ou um gato vai arranhar você, morder você quando estiver com medo ou com raiva", disse ele. "Xingar nos permite expressar nossas emoções simbolicamente sem fazê-lo com unhas e dentes.


"Em outras palavras, eu posso apontar o dedo para alguém ou dizer 'foda-se' do outro lado da rua. Eu não tenho que ficar na cara deles."


Xingar então se torna uma forma remota de agressão, explicou Jay, oferecendo a chance de expressar sentimentos rapidamente, evitando repercussões.

Depois desses dados e informações, tente xingar (MUITO), mas em 4 (quatro) paredes para evitar desentendimentos KKK !!! Pelo menos seu sono será tranquilo e quando acordar e ver o nascer do sol, não xingue! Respire! Viva um novo dia!


#NAMASTE


Tags: #SevenJoin #Inovação #Ideias #NovosNegócios #Empreendedorismo #Consultoria #ConsultoriaDeInovação #Intraempreendedorismo #Business #Tecnologia #MetodolodiasAgeis #CasesDeSucesso #Crowdsorcing #B2U #Universidades #DVNB #Startups #Tendências #Palavrão #Palavrões #Xingar #Eitqueta #Saúde #SaúdeMental #MundoModerno #MundoPósCovid

7 visualizações0 comentário