• Junior Valverde

STARTUP DOS EUA CRIA "BALSA" ELÉTRICA VOADORA PARA PESSOAS COM VELOCIDADE DE 290 KM/H



Transporte rápido? A start-up Regent de Boston (EUA) está desenvolvendo um "planador elétrico" que pode sair de um porto em um hidrofólio, decolar em baixa velocidade usando a água como pista e, em seguida, voar sobre as ondas a uma velocidade máxima de 290 quilômetros por hora.


Uma start-up de Boston chamada Regent quer fazer das balsas voadoras a melhor maneira de viajar entre cidades costeiras.Neste cenário, estão desenvolvendo um "planador elétrico" que pode sair de um porto em um hidrofólio, decolar em baixa velocidade usando a água como pista e, em seguida, voar sobre as ondas a uma velocidade máxima para trazem passageiros aos seus destinos.


Para se ter uma ideia em termos de Brasil, a balsa Guarujá-Santos no litoral paulista opera a 80 km/h. A distância é pequena e o tempo de travessia é de 7 minutos. Entretanto, com a invenção da Regent, isso se daria em 1 min e 93 segundos.

De acordo com os co-fundadores CEO Billy Thalheimer e CTO Michael Klinker, a dupla trabalhou anteriormente para uma empresa da Boeing, a Aurora Flight Sciences, e ambos são pilotos particulares licenciados pela FAA (Administração Federal de Aviação, na sigla em inglês, similiar a ANAC no Brasil).


Thalheimer disse que a Regent quer fazer viagens entre cidades costeiras rápidas, seguras, acessíveis e confiáveis ​​com o menor impacto ambiental possível.


Os planadores marinhos que a Regent projetou tecnicamente se enquadram na categoria de nave Wing in Ground Effect, ou WIGs. Eles não foram historicamente regulamentados pela FAA, mas sim pela Guarda Costeira dos EUA.


É importante ressaltar que a Regent está desenvolvendo seus planadores para trabalhar com a infraestrutura existente do porto, disse o CEO. Ele observa que a cobrança ainda é necessária nos portos para a adoção comum de veículos elétricos, sejam táxis aéreos elétricos, barcos ou veículos terrestres.


A empresa buscará estabelecer rotas de passageiros entre centros importantes como Boston e Nova York, Los Angeles e San Francisco, ou rotas mais curtas como a cidade de Nova York aos Hamptons ou rotas conectando as ilhas do Havaí.


Mas, por enquanto, com US $ 9 milhões em financiamento inicial novo em mãos, a start-up está se concentrando em um protótipo.


“Estaremos voando um protótipo de um quarto de escala até o final deste ano”, disse Thalheimer. “O protótipo terá cerca de 15 pés de envergadura e pesará cerca de 400 libras. Precisamos ter certeza de que funciona em ambientes operacionais representativos, como em ondas e climas diferentes. ”


Essas empresas incluem outros desenvolvedores de WIG, Flying Ship Company e RDC Aqualines, junto com fabricantes de barcos para veículos elétricos, como Pure Watercraft em Seattle (EUA), Candela com sede na Suíça e Wellington Electric Boat Building Company na Nova Zelândia.


Tags: #SevenJoin #Inovação #Ideias #NovosNegócios #Empreendedorismo #Consultoria #ConsultoriaDeInovação #Intraempreendedorismo #Business #Tecnologia #MetodolodiasAgeis #GestãoEficaz #CasesDeSucesso #Crowdsorcing #Regent #Startup #Transporte #Aviação #Navegação

4 visualizações0 comentário